Minicontos

Todos iguais

No dia vinte e oito de julho de 2005, às sete e trinta e cinco da manhã, Júlio Benites da Silva, 13 anos, ia para a escola quando caiu vítima de uma bala perdida. Às sete e vinte e dois, tinha saído de casa sem dizer para sua mãe o quanto gostava dela (porque não costumava mesmo fazê-lo e também porque andavam meio brigados). Às três e quarenta da madrugada, sonhava com Maria Alice, igualzinho aos que têm futuro.


(em Adeus conto de fadas, 7 Letras, 2006)

Leonardo Brasiliense
08/04/2015

 

 

Site elaborado pela metamorfose agência digital - sites para escritores