Comentários

Ser criança era moleza

Cadorno Teles
www.amigosdolivro.com.br, fevereiro/2007

A adolescência é uma personagem tão importante em Adeus conto de fadas, do gaúcho Leonardo Brasiliense, que o livro de minicontos deveria também servir não somente aos jovens, mas aos pais.

Quem já não mentiu, escondendo as notas da escola? Quem não levou bronca por não ter ouvido os conselhos dos pais? Quem não se isolou dos colegas, por se achar diferente? Quem não fugiu da realidade, em seus sonhos juvenis?

Quando o autor postou seus mini contos juvenis em sua página na Internet (www.leonardobrasiliense.com.br), uma onda de elogios e comentários com certeza inundaram seu site. Poderiam duvidar até mesmo se Leonardo não seria um adolescente, por escrever de uma forma tão realista e como um dos jovens retratados em seus contos. Uma precisão esclarecedora a muitas indagações que o leitor jovem sente em seu intimo.

Em Adeus conto de fadas, os contos compreendem histórias curtas, com pouco mais de cem palavras, no máximo. Rápida e intensas, falando da juventude e seu cotidiano, onde a vergonha das espinhas no rosto ou a timidez do primeiro encontro os são cenários de seus minicontos. Brasiliense utiliza a gênero blog, ou dos minicontos pela primeira vez, um gênero que cresce no mundo todo, e cada vez mais a partir da internet.

Cenas do cotidiano são narrados de formas caprichadas, dilemas muitas vezes banais para os adultos se transformam em histórias que apresentam os diversos conflitos existenciais importantes e difíceis da vida dessa geração que está aí entrando pelos treze e quatorze anos.

Um livro juvenil para qualquer adulto ler, contos adultos para qualquer jovem se ver.


00/00/0000

 

 

Site elaborado pela metamorfose agência digital - sites para escritores